O Líder Moderno Deve Abandonar a Cultura da Empresa e Criar um Clima Favorável

Se você lidera uma unidade de negócio – uma equipe, um departamento ou uma empresa – você já pensou sobre a cultura corporativa.

Você já leu sobre como ter a cultura certa leva a resultados excepcionais.

Acerte a cultura, os gurus dizem, e o resto vai magicamente cuidar de si mesmo.

E você acredita se você é ou já foi parte de uma equipe de alto desempenho.

Tudo faz sentido, é divertido, e os resultados fluem.

O problema surge quando você tenta pegar seu time atual, que não é ruim, mas não tem nada de especial, e mudar a cultura.

É difícil, não é?

Os gurus dizem para escrever uma declaração clara da missão, alinhar com os valores, e comunicar (em excesso).

Isso funcionou para você? Acho que não.

Aqui está o por quê:

  • A cultura é relativa, varia de dia para dia e de indivíduo para indivíduo. Não é algo que o líder pode controlar. É uma variável dependente, não independente. A cultura é um resultado e não um input.

Novas Tendências para a Liderança Empresarial (Foco no Talento Humano)

Pense no clima, não na cultura

Ah. OK.

Isso se encaixa na minha observação do mundo real.

Mas então como faço para levar minha equipe atual a níveis mais elevados de desempenho?

Bem, a cultura não é uma variável que o líder controla, mas o clima é.

Você define o clima para a sua unidade.

O clima sim é um input.

  • Que comportamentos você reconhece e recompensa?
  • Qual é o seu nível de energia?
  • Os seus funcionários sentem que você confia neles? Como você lida com a gestão do stress e a resolução de conflitos?
  • Como você reage ao fracasso? (Na verdade, não vamos chamar de fracasso. Chamaremos de “aprendizagem”.)

O líder tem uma enorme influência sobre o clima em sua unidade.

O líder determina o tom.

A grande descoberta da liderança…

Aqui está a descoberta:

  • Se você promover o clima certo, você terá direito a cultura.

Vários anos atrás, observei um jovem líder rodeado por uma cultura de reação e pânico.

Embora fosse uma empresa bilionária e negociada publicamente, era essencialmente um negócio familiar.

Quando o fundador dizia, “Pulem!” – o que aconteceu muitas vezes – a resposta culturalmente adequada era: “Quão alto?”

Períodos de “aperto financeiro” foram um acontecimento comum.

A maioria dos gerentes de nível médio saía de uma reunião onde havia sido repassada uma diretiva de corte de custos ou melhoria dos lucros, e jogava a responsabilidade em seus subordinados:

“Encontrem uma maneira de cortar X mil dólares”.

O jovem líder tomou um caminho diferente

Ele passava um tempinho em seu escritório, recolhia seus pensamentos, e traçava um plano.

Então ele iria informar sua equipe da missão, mas também fornecer o contexto, a orientação, e uma abordagem.

Mais importante, ele mudou a paisagem emocional.

Ele criou um buffer e um pequeno oásis de razoável calma.

Ao longo do tempo a cultura de sua unidade mudou.

Decisões e gestões do negócio tornaram-se mais colaborativas.

Os subordinados aprenderam a pensar em vez de apenas fazer.

O jovem líder definiu o clima e mudou a cultura dentro da sua pequena área de influência.

A propósito, sua unidade também aumentou as vendas em 19% e os lucros em 46 % sobre o ano anterior.

De adulto para adulto versus de pai para filho, mudando a cultura como clima certo

A mesma ideia de criar um clima para uma mudança de cultura foi incorporada em um recente discurso de um especialista sobre estimular a inovação nas empresas.

Ele adaptou os conceitos de Análise Transacional ao local de trabalho, dizendo:

“Se você quer acender mais inovações, você tem que interagir com os seus colaboradores de adulto para adulto, em vez de pai para filho”.

Que ideia mais poderosa e uma metáfora clara.

Quando você tem um clima de cima para baixo, de comando e controle, pai-filho, em que tipo de cultura geralmente resulta?

Empregados que, em sua maior parte, colorem dentro das linhas e fazem o que lhes é pedido.

Uma nova missão, provavelmente não vai mudar isso.

Valores realinhados podem até mudar isso, mas a definição de um novo clima lhe dará a peça que faltava: como fazê-lo.

Um caso de sucesso e resultados obtidos por um líder focado no clima do seu time

Eu vi a mesma coisa, como cliente, em uma empresa que entregava um grande serviço e trabalhava excepcionalmente bem em equipe.

Fiquei intrigado, então eu falei com o gerente da unidade.

Ele explicou que seu antecessor havia contratado vendedores com problemas financeiros e problemas com bebida, que “tinham que vender para comer.”

Isso criou uma desconexão com o target de alta renda e com o materiais high-end de marketing fornecidos pela sede da empresa.

O novo gerente fez várias mudanças no clima da unidade, começando com a contratação de um modelo diferente e mais profissional de vendedores.

Ele alinhou os processos de marketing com os de venda – e com o cliente-alvo.

Mas ele também acompanhou todas as medidas chave de desempenho, compartilhando informações financeiras e resultados livremente em toda a unidade, e modelou integridade e paixão para o negócio.

Ele conseguiu enormes melhorias nos resultados de negócios de sua unidade.

 

Mas a realização mais importante foi que ele havia estabelecido um novo clima, que resultou em uma cultura que impressiona o cliente. Isso é raro.

Depois de conversar com ele e ouvir sua história, eu não estava de todo surpreso quando ele foi rapidamente promovido a um papel muito maior na sede.

As boas e más notícias sobre a cultura da organização…

Acertar na cultura é extremamente importante para alcançar resultados superiores, mas a cultura não é controlável para líderes empresariais.

No entanto, a cultura é o resultado do clima, e  líderes podem definir o clima de sua unidade.

A definição de um clima que produz uma cultura de alto desempenho é difícil.

É preciso uma liderança real. E criatividade.  Energia. Flexibilidade. Princípios. Perseverança. Mas funciona.

E é extremamente gratificante.

Boa sorte!